O consumo consciente é algo que muitos brasileiros desconhecem, especialmente aqueles que entendem pouco sobre educação financeira.

Entretanto, saiba que a sua saúde financeira depende exclusivamente da forma como você gerencia suas contas e utiliza alguns recursos, como o crédito. Isso porque quanto mais você gastar além de seu orçamento, maiores as chances de se endividar…

Contudo, você não precisa entrar em pânico e deixar de comprar, visto que o segredo é ter moderação e planejamento. A facilidade do crédito não precisa ser um vilão nas suas finanças, desde que você use-o de forma consciente. 

Mas, afinal, o que significa consumo consciente? Bom, resumidamente, podemos dizer que uma pessoa que compra conscientemente é aquela que pensa na inadimplência. 

É estranho pensar assim, mas é verdade! Quem tem um planejamento financeiro bem definido jamais gasta seu dinheiro de forma descontrolada. 

Por isso, se você pensar em qual a importância do consumo consciente, tenha em mente que é o uso de seu crédito de mercado de maneira planejada. Na prática, é a avaliação real da necessidade da compra, seguida de uma análise sobre as condições de contratação do crédito em questão.

Sendo assim, se você tem problemas com isso, então está no lugar certo! A seguir mostraremos as melhores dicas de planejamento e controle financeiro quando o assunto é consumo! Aproveite! 

1- Consumo consciente está diretamente ligado à educação financeira

Pode ser que você não tenha tido uma experiência positiva com o planejamento financeiro familiar desde cedo, mas isso não é desculpa para extrapolar agora. 

O motivo é simples! Para ser um consumidor consciente basta um pouquinho de disciplina e interesse em querer aprender mais sobre o assunto. 

Por essa razão, se você quer saber como ter uma vida financeira saudável, entenda que é preciso somente buscar, obter e absorver informações que possam fazer a diferença na hora de administrar seu dinheiro.

Na prática, isso significa mudar pequenos hábitos, como:

  • Ter um maior controle sobre seu orçamento (o quanto ganha e o quanto gasta);
  • Começar a poupar e reduzir o consumo excessivo e desnecessário;
  • Priorizar o planejamento financeiro antes de comprar por impulso;
  • Obter conhecimento sobre produtos de investimento.

Isso lhe ajudará a melhorar sua qualidade de vida em diversos sentidos, não só no momento de pensar em como acabar coma as dívidas do cartão de crédito, por exemplo.

Então, pense que saber como tratar melhor seu dinheiro não é um fim, mas sim um meio para atingirmos seus sonhos e objetivos!

2- Entenda sua renda para ter um consumo consciente

Um dos erros mais comuns das pessoas na hora de administrar suas finanças é incluir o limite de cartão de crédito ou do cheque especial como uma maneira de equilibrar o orçamento. 

Mas, na verdade, isso pode funcionar somente durante um curto período de tempo, pois não se pode confundir crédito com renda. 

Por isso, tenha em mente que tomar dinheiro emprestado não irá aumenta as suas receitas e ainda irá prejudicar todo o seu planejamento financeiro e orçamento.

Além disso, lembre-se de que em certo momento, você terá que pagar isso de volta, ou seja, o que tomou emprestado não corresponde a uma receita efetiva e sim mais uma despesa.

3- Cuidado com compras parceladas

É comum, na hora de tentarmos equilibrar o orçamento mensal, fazer compras parceladas, seja nos carnês de lojas, cheque especial ou nos cartões.

Contudo, se em um primeiro momento isso pode ser uma estratégia para evitar um desequilíbrio nas contas, depois pode se tornar um problema. 

Isso porque dependendo das condições obtidas no parcelamento, você acabará comprometendo seu orçamento familiar.

É mais uma parcela para entrar em suas despesas, menos dinheiro para economizar e investir e ainda há o risco de atrasar a parcela e ainda pagar juros sobre ela. 

Por isso, antes de parcelar, analise com cuidado as condições e o impacto desse parcelamento em suas finanças, pois, na maioria das vezes, é mais vantajoso comprar à vista.

4- Cuidado com empréstimos

Há momentos em que não podemos fugir muito dos empréstimos pessoais, visto que fica praticamente inviável saber o que fazer para acabar com as dívidas.

Contudo, mesmo que as condições oferecidas pela linha de crédito sejam atrativas, você precisa verificar se ela se enquadra à sua realidade financeira.

A ideia é avaliar o peso da prestação em seu orçamento, sendo o recomendado que essa não ultrapasse 25% da renda mensal bruta da família.

Mas, há casos ainda que mesmo que a prestação comprometa uma parcela inferior a 25% do orçamento familiar é necessário repensar o empréstimo.

Isso devido a que, dependendo das despesas e gastos fixos que a pessoa tem, esse percentual extrapola o orçamento, ou seja, provavelmente, você não conseguirá pagar. 

Então, evite fazer empréstimos para pagar outras dívidas ou dar uma folga no seu bolso, pois você só está adiando o problema.

5- Use seu crédito de forma consciente

O consumo consciente não é somente economizar ou deixar de gastar, mas também utilizar com controle.

Por essa razão, não estamos dizendo que você deve deixar de comprar, até porque isso não faz bem para a economia. 

O fato é que o seu crédito no mercado é tudo que você tem e por isso, quanto mais controle de suas finanças tiver, melhor para todos. 

Nesse sentido, ao fazer compras e gastar seu dinheiro, sempre use seu crédito de maneira consciente, isto é, ciente de todas as condições de pagamento e com certeza de que estará pronto para assumi-las.

A pior coisa que tem é gastar mais do que se pode, ficar devendo e os credores ficarem ligando, sem contar no fato do nome negativado, concorda?!

6- Aprenda a reduzir o prazo de pagamento

Uma das melhores formas de como lidar com o dinheiro é aprendendo a reduzir os prazos de suas dívidas. 

As taxas de juros servem para corrigir o valor do dinheiro no tempo, ou seja, você pega uma quantia emprestada e paga um valor extra por isso.

Só que o problema é que ao colocar isso na ponta do papel, na maioria dos casos, não vale a pena.

A inflação é tanta que as taxas de juros acabam sendo totalmente desvantajosas em médio e longo prazo.

O valor que você irá pagar de juros praticamente daria para comprar o dobro do valor que pegou emprestado…

Por isso, é importante ficar claro que a taxa de juros é sempre muito mais alta do que quando você investe seu dinheiro numa aplicação financeira. 

Então, antes de pensar em assumir qualquer facilidade de crédito, saiba que ele tem um custo, geralmente alto.

Para um consumo consciente, opte por parcelas menores, para que o recurso financeiro escolhido não se prolongue por muito tempo, a ponto de ser uma parcela muito cara para o seu orçamento.

7- Saiba mais sobre seu cartão de crédito

Que os cartões de crédito proporcionam segurança e comodidade na hora de pagar as compras, substituindo o uso de dinheiro e cheque, todos sabemos, correto?

Entretanto, ele é também um instrumento importante na gestão das suas finanças pessoais. 

Você sabe por quê? Bom, todas as suas despesas estarão listadas na fatura, o que facilita muito tomar ciência de onde o seu dinheiro vem sendo usado. 

Mas, como todo meio de pagamento, seu uso deve ser feito com critério e sendo assim, sempre opte por pagar o valor total até a data de vencimento.

Além disso, uma dica é buscar usar os cartões de crédito sem anuidade.

Esses cartões não possuem taxa de manutenção (um gasto a menos para se preocupar) e ainda oferecem uma série de vantagens e condições exclusivas.

8- Os cartões também podem ajudar na gestão e no consumo consciente

O cartão de crédito não é somente um pesadelo em nossas vidas, pois quando usado com moderação pode ser bem interessante. 

Nesse sentido, com um bom planejamento financeiro, os cartões podem lhe ajudar no gerenciamento do seu caixa. 

Como? Bom, você compra hoje, mas só paga no dia do vencimento da fatura, administrando assim melhor as suas contas.

Isso porque dessa forma é possível conciliar a data de vencimento com o pagamento do seu salário ou com o recebimento de outros rendimentos. 

Além disso, com a introdução do pagamento parcelado sem juros através de cartão, as prestações são lançadas normalmente nas faturas, de acordo com suas respectivas datas de vencimento. Se pagas em dia, não haverá cobrança de juros.

Portanto, agora você já sabe exatamente o que fazer para ter um consumo consciente quando o assunto são suas finanças, certo?!

Leve essas dicas para a sua vida financeira e veja como essa irá melhorar!

Com essas estratégias além de entender melhor sobre seus gastos e hábitos de consumo, ainda terá um maior controle sobre seu orçamento!