Com a alta da taxa básica de juros para 2,75% ao ano, os investimentos em renda fixa voltaram a ser atrativos para os investidores brasileiros e uma dessas opções para turbinar a sua carteira de ativos são os CRA’s, também conhecidos como Certificados de Recebimentos do Agronegócio.

Para quem ainda não conhece essa aplicação, saiba que estamos falando de um título de renda fixa que, normalmente, oferece bons rendimentos, inclusive maior que a poupança, por exemplo. Além disso, através desse investimento em renda fixa, é possível ter boa rentabilidade sem abrir mão da segurança, considerando que se trata de um ativo conservador, mas com a possibilidade de ganhar mais.

Ainda não foi o suficiente para lhe convencer que investir em CRA é uma boa para sua carteira? Bom, além de tudo isso, estamos falando de um investimento ligado ao agronegócio.

O agronegócio é um dos setores que mais vem crescendo no Brasil nos últimos anos, mais até do que a indústria e o comércio. No ano passado, nem a pandemia parou o agronegócio brasileiro, sendo esse responsável por quase 27% de todo o PIB (Produto Interno Bruto) do país. 

Então, tenha em mente que o investimento em CRA é uma ótima oportunidade para o seu dinheiro, uma vez que é um ativo que rende, oferece riscos aceitáveis e tem uma tendência de valorizar cada vez mais ao passar dos anos, principalmente aqui no Brasil, já que somos um dos países líderes no mercado agro. Vamos conhecer tudo sobre esse investimento?!

Índice de Conteúdo
Afinal, o que é CRA?
Qual é a rentabilidade desse investimento?
Para quem é indicado investir em CRA?
Quais são os riscos dessa aplicação?
Vantagens e desvantagens do investimento em CRA 
Conclusão

Afinal, o que é CRA?

O Certificado de Recebíveis do Agronegócio, popularmente conhecido no mercado como CRA, é um título de crédito emitido por empresas securitizadoras (instituições financeiras responsáveis por comprar dívidas, usá-las para emitir títulos e então, negociar esses títulos com os investidores).

Embora o mercado de ativos agro esteja em alta no Brasil, ainda estamos falando de uma forma de investir “nova”.

Isso porque a primeira emissão de um título do agronegócio ocorreu somente em 2009. Mas, pouco tempo no mercado não quer dizer pouco sucesso.

Basicamente, o investidor que aposta nos Certificados de Recebíveis do Agronegócio está incentivando o agronegócio

O CRA é um título que atrai recursos para o setor agro, especialmente porque outras fontes de recursos não são insuficientes para financiar as cooperativas e os produtores rurais. 

Na prática, o investimento em renda fixa em CRA é muito semelhante ao CRI, que funciona para o setor imobiliário. 

Ou seja, o produtor rural faz um financiamento com o banco. O banco recorre à empresa securitizadora. Essa empresa emite e vende os CRA’s aos investidores. Esses investidores recebem o dinheiro de volta com os respectivos rendimentos (juros), à medida que os produtores vão honrando suas dívidas.

Qual é a rentabilidade desse investimento?

Investir em CRA é, geralmente, bem mais rentável que outros investimentos em renda fixa, como CDB’s, Caderneta de Poupança e Títulos Públicos Federais, por exemplo.

Isso porque, normalmente, os CRA’s emitidos estão atrelados ao CDI/Selic, indexados aos índices de inflação ou são pré-fixados.

Na rentabilidade pré-fixada, a taxa de juros aplicada sobre o montante investido será fixa, ou seja, 15% ao ano, por exemplo.

Assim, ao comprar o título CRA pré-fixado, você já terá uma noção exata de quanto receberá ao final da aplicação, isto é, quanto seu dinheiro irá render.

Os pré-fixados são ótimas recomendações quando a taxa Selic (taxa básica de juros da economia brasileira) está em baixa, que é o caso atualmente, uma vez que oferecerá maiores rendimentos que outras aplicações de renda fixa. 

Já na rentabilidade pós-fixada, o seu dinheiro irá render de acordo com um indexador da economia, que pode ser a Selic ou o CDI.

Assim, o seu investimento irá render baseado em um percentual do índice, como 110% do CDI ou 140% da Selic, por exemplo.

A vantagem do pós-fixado é que se o indexador do título subir, os seus rendimentos serão maiores. Por isso, negociar um CRA pós-fixado pode ser uma escolha sábia quando existe a expectativa de alta na taxa de juros.

Por fim, temos os títulos do agronegócio com rentabilidade híbrida, ou seja, o rendimento da sua aplicação se dá tanto por um parte pré-fixada, quanto por uma pós-fixada.

Nesses casos, os títulos rendem seguindo os índices de inflação, como o IPCA ou IGP-M, por exemplo.

Por exemplo, na rentabilidade híbrida, o seu título rende 10% + IPCA ao ano, gerando assim um ganho real, sendo uma ótima opção para metas de médio e longo prazo.

Via regra geral, esse tipo de título é o mais interessante para o investidor, uma vez que proporciona rentabilidade acima da inflação.

Além de tudo isso, todo o lucro que você obter investindo em CRA será seu, já que essa aplicação é isenta de imposto de renda, no caso de ser um investidor pessoa física.

Para quem é indicado investir em CRA?

Por ser um investimento em renda fixa e que pode gerar ganhos acima da inflação, investir em CRA pode ser uma boa opção para os investidores com perfil entre conservador e moderado.

De modo geral, é um investimento rentável e seguro, não sendo preciso se preocupar, pois por mais que ofereça alguns riscos, existem boas garantias. 

Mas, é preciso ficar atento aos ratings das agências de classificação de risco para a CRA em que se está interessado, para evitar perder dinheiro. Geralmente, se a classificação é boa, o investimento é muito mais seguro. 

No entanto, é importante lembrar que os CRA’s não possuem Fundo Garantidor de Crédito (FGC), ou seja, o dinheiro investido não fica protegido.

Sendo assim, é recomendado investir em Certificados de Recebíveis do Agronegócio para diversificar seu portfólio.

Quais são os riscos dessa aplicação?

Resumidamente, o maior risco desse investimento em renda fixa é a inadimplência na outra ponta da cadeia. 

Isso significa que se os produtores não pagarem suas dívidas, há o risco de você não receber o dinheiro investido de volta. 

Embora esse risco não seja tão grande, é preciso saber que ele existe dependendo das condições econômicas do setor. 

Mas, é bom lembrar que mesmo que algumas modalidades de CRA não possuam garantias, nem todas são assim.

Existe a possibilidade de estruturas com garantias (como alienação da terra e penhor da produção), para que você investidor fique mais tranquilo na hora de aplicar seu capital.

Então, na hora de investir, dê preferência aos CRA’s com recebimento de valores no caso de inadimplência.

CRA’s com possibilidade de alienação fiduciária ou penhora da produção em caso de inadimplência apresentam menos riscos à sua carteira.

Vantagens e desvantagens do investimento em CRA

Vantagens:

  • Remuneração atrelada à inflação com ganho real e, na maioria dos casos, superior à outras aplicações de renda fixa;
  • Possibilidade de estruturas com garantias (como alienação da terra e penhor da produção);
  • Negociáveis na Cetip ou no BovespaFix;
  • Não tem Imposto de Renda nem IOF para pessoa física.

Desvantagens:

  • Baixa liquidez;
  • Não é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito;
  • Pode haver inadimplência do setor financiado.

Conclusão

Portanto, esperamos que com este guia completo você tenha se informado mais sobre o que é o investimento em CRA, como funciona, quais são os prós e contras, enfim.

Não existe o melhor investimento do mercado, mas sim aquele que se encaixa nas suas necessidades para o futuro e no limite do seu bolso na hora de investir. 

Sendo assim, podemos dizer que no balanço geral, investir em um Certificado do Agronegócio é sim uma boa opção para a sua carteira de ativos!O motivo para isso é simples: Trata-se de uma aplicação rentável e com grande potencial de expansão, já que o setor agro é um dos que mais crescem no Brasil.