Entre as pessoas que têm contas que ainda não foram quitadas, 30% dessas estão com dívidas no cartão de crédito, sendo esse um dos principais motivos de superendividamento entre os consumidores brasileiros.

No entanto, o que acontece é que muitas pessoas não fazem a mínima ideia de como funciona esse tipo de dívida, como se, por exemplo, o débito caduca após passar 5 anos sem pagamento, se a dívida realmente some do seu nome, enfim.

Bom, antes de qualquer coisa, precisamos entender corretamente os termos financeiros… Embora “dívida caducar” tenha ficado popular entre os brasileiros, o certo é dizer que a “dívida prescreveu”.

Sabendo disso, quando uma pendência prescreve, quer dizer que já se passaram 5 anos desde o último pagamento. Assim, saiba que o seu nome sai da lista de inadimplentes (birôs de crédito, como o Serasa, por exemplo), mas ela não some da sua vida.

Então, para entender melhor sobre o assunto, preparamos este guia rápido sobre dívidas no cartão de crédito! Vamos lá?!

O que acontece com a dívida no cartão de crédito?

Como explicado acima, quando você deixa de pagar suas faturas do cartão de crédito, seu nome entra para a lista de negativados, o famoso nome sujo.

Contudo, por lei, aqui no Brasil, os órgãos de proteção ao consumidor só podem manter seu nome nessa lista de inadimplentes por até cinco anos.

O que muitas pessoas não sabem é que após esse prazo, mesmo que você volte a ter crédito no mercado, a dívida continua registrada em seu nome, ou seja, ela não caduca, apenas deixa de ser cobrada.

Qual o problema disso? Bom, você pode vir a ter dificuldades para conseguir outro cartão de crédito, principalmente na mesma instituição que está devendo.

Isso porque os birôs de crédito apenas tiram a dívida da lista de negativação, mas ela ainda constará em seu nome.

Como o banco faz a cobrança do cartão de crédito?

Caso você não pague o valor mínimo da sua fatura mensal, esse valor irá cair no crédito rotativo, que é o que tem um dos juros mais altos aqui no Brasil, mais de 300% ao ano.

Atualmente, para diminuir as taxas de endividamento, após um mês no crédito rotativo, o emissor do cartão é obrigado a oferecer condições de parcelamento da fatura, com juros menores.

Se mesmo assim você não tiver como negociar e pagar parcelado as compras do seu cartão de crédito e/ou não conseguir um empréstimo (menores taxas de juros), saiba que aí o banco emissor do cartão pode solicitar a inclusão do seu nome na lista de inadimplência.

A partir desta data passará a contar o tempo para a sua dívida prescrever, ou seja, os famosos cinco anos para o débito caducar.

Nesse meio tempo, o banco poderá entrar em contato para tentar um acordo com o cliente, para que a dívida no cartão de crédito seja quitada.

O que normalmente acontece é que como o cliente não tem condições ou não se interessa em pagar o débito, o banco repassa essa dívida para uma empresa especialista em recuperação do crédito.

Assim, o banco “vende” a dívida para outra empresa, para não precisar ficar cobrando de você.
Mas, após passar os cinco anos, a empresa perde o direito de fazer cobranças, mesmo que a dívida continue em seu nome.

Então, é preciso pagar a dívida que foi prescrita?

Sim! Mesmo após passar os cinco anos e o seu nome voltar a ficar limpo, saiba que é importante que você pague essa dívida, para que tenha boas relações no mercado.

Nesses casos, para você quitar a dívida no cartão de crédito, independentemente do prazo, é necessário entrar em contato diretamente com a empresa onde ficou devendo, para pedir uma revisão do contrato e assim negociar um bom acordo!

Então, se você se endividou com o cartão, tente ao máximo pagar tudo o que deve, pois além de ser vantajoso para você voltar a ter crédito no mercado, também é um alívio saber que está com as suas contas em dia, não é mesmo?!