As boas regrinhas de educação financeira, normalmente, nos aconselham a pagar nossas contas tudo à vista, considerando que assim evita-se comprometer o orçamento dos próximos meses.

Entretanto, segundo dados do SPC de 2018, aproximadamente 90% dos brasileiros dizem não ter um planejamento para as despesas dessa época…

Assim, já nos primeiros meses do ano, as contas como IPTU, IPVA e taxas escolares começam a pesar no bolso dos brasileiros e podem se tornar uma âncora nas finanças.

O fato é que nem sempre conseguimos evitar os parcelamentos, não é mesmo? Mas, então, quando vale a pena pagar essas contas à vista, isto é, com dinheiro e em uma única vez? É uma boa estratégia de controle financeiro em tempos de crise?

Bom, via regra geral, podemos dizer que é interessante quitar esses débitos de uma vez só quando esses oferecem algum desconto, mas é preciso avaliar cada situação, ou seja, as condições de pagamento.

Além disso, se você tem dívidas em atraso, a sua prioridade deve ser quitá-las primeiro, visto que as taxas de juros são maiores e podem causar mais estragos em seu planejamento financeiro mensal.

Então, na dúvida, preparamos uma lista com as contas de início de ano mais comuns. Confira a seguir quais delas você pode pagar à vista e quais podem ser parceladas!

O que diz a educação financeira para o IPTU:

O IPTU (Imposto Sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana) é um tipo de imposto que donos de imóveis e/ou terrenos pagam anualmente.

Como se trata de uma despesa administrada pelos municípios, ficam as prefeituras encarregadas de determinar o valor sobre tal imposto.

De modo geral, o cálculo do valor do IPTU é baseado no valor de venda da propriedade e uma taxa de juros, que varia de acordo com o valor e tipo da propriedade.

O que muitas pessoas não sabem é que é possível pagar o IPTU mensalmente, o que é ótimo para quem tem um valor alto.

Além disso, há a possibilidade de conseguir um desconto no pagamento à vista do IPTU, que em média é de 3%.

Normalmente, esse imposto é endereçado ao proprietário no mês de janeiro e embora você possa adiar o pagamento ao longos dos meses, esse ficará mais caro, devido aos juros.

Então, nosso guia de educação financeira recomenda que você pague o IPTU a vista sempre que possível.

No caso do seu IPTU ser um valor alto (quanto mais valorizada a propriedade/terrenos, maior o valor final do imposto) e você não tenha como pagar de uma única vez, então cabe o parcelamento.

Mas, nessas situações, para não entrar o próximo ano já com contas pendentes, a dica é incluir em seu planejamento financeiro o pagamento mensal, para não ter que precisar quitar o valor total no início do ano.

Pagamento do IPVA:

Da mesma forma que o IPTU, o cálculo do valor do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) também é baseado no valor de venda.

Porém, a diferença aqui é que esse valor é definido pelo Estado em que o veículo se encontra registrado e não pelo município.

Assim, o valor varia conforme o tipo de veículo (carro ou moto), modelo e ano e Estado em que está registrado.

Mas, normalmente, exceto para os veículos mais modernos, o valor não costuma ser tão alto, podendo ser pago à vista se houver um planejamento prévio.

No caso do pagamento de uma única vez, o desconto pode ser bem interessante, podendo chegar até 7% dependendo do Estado. Além disso, você pode também pagar esse imposto em até três vezes.

Atualmente, com a taxa Selic (link) em baixa, cerca de 2% ao ano, a boa educação financeira nos recomenda aproveitar os descontos do pagamento à vista.

Isso por que não é válido, do ponto de vista financeiro, aplicar o valor do IPVA para depois pagar a conta, já que nenhum investimento hoje está rendendo mais do que 3%.

Seguro DPVAT:

Até pouco tempo atrás, o valor do DPVAT era embutido na guia de pagamento do IPVA, mas isso mudou.

Contudo, esse é menos um imposto que você precisa se preocupar este ano. Isso por que, para quem ainda não sabe, o seguro DPVAT não precisará ser pago em 2021 (confira aqui o motivo da isenção).

Contas feitas no período de natal e ano novo:

É comum queremos comprar presentes no natal, fazer decorações lindas para as festas de final de ano, dar aquela caprichada no visual e no armário, gastar mais com a alimentação, enfim.

O problema é que muitos brasileiros adiam o pagamento dessas despesas para o início de ano, como no caso dos carnês de lojas com até 90 dias para pagar…

Normalmente, esses são gastos que podem ser parcelados, considerando que você não terá desconto no pagamento à vista.

Além disso, como costumamos exagerar nessa época, o parcelamento é mais interessante, pois ir pagando ao longo dos meses não fica tão pesado no orçamento familiar.

Seguros:

Os seguros são grandes vilões da educação financeira, visto que são pagos valores mais altos e a maioria das pessoas não se organiza para tal pagamento.

Geralmente, os seguros contratados são renovados anualmente e a maioria é justamente nessa época de começo de ano.

Então, fique atento a sua apólice e veja se o seu seguro deve ser pago nos primeiros meses do ano e caso a resposta seja sim, planeje-se com antecedência.

Gastos escolares:

Para quem tem filhos na idade escolar, o período de início de ano é trágico, considerando que é preciso pagar a taxa de matrícula, comprar material escolar, mandar fazer uniforme novo, enfim.

Com relação a matricula, geralmente, não é possível parcelar o valor e sendo assim, é preciso saber como organizar sua vida financeira para dar conta do pagamento à vista.

Já para as demais despesas, é possível (e indicado) o parcelamento, visto que é menos um valor para tirar do seu orçamento mensal, afinal, nessa época todo centavo é precioso, concorda?!

Portanto, se você segue os princípios da educação financeira, então, com certeza seguirá as dicas mencionadas neste conteúdo.

Óbvio que se as suas finanças estiverem positivas e for possível o pagamento de uma única vez, melhor.

Mas, jamais tente pagar tudo à vista se não puder, pois isso comprometerá seriamente o seu orçamento familiar.

Além disso, chega de ficar correndo atrás do prejuízo, planeje-se no ano anterior para o pagamento das contas de início de ano, pois essa é a melhor estratégia sempre!