Você sabia que existem hábitos que diminuem o score? Sim! Da mesma forma que certas atitudes podem aumentar a nossa pontuação de crédito e facilitar a nossa vida financeira, existem comportamentos que podem nos fazer perder oportunidades ou ter que pagar juros mais altos ao conseguir crédito no mercado.

Isso porque seu score é como se fosse seu termômetro de credibilidade para os bancos, financeiras e empresas. Assim, dependendo, pode ser que você tenha mais dificuldade para conseguir empréstimos, fazer um crediário de loja, aprovar um bom cartão de crédito, financiar a casa própria, conseguir crédito para o seu negócio, enfim.

Por isso, mesmo que você esteja “tentando andar na linha” para construir uma boa reputação no mercado financeiro e assim melhorar seu score, saiba que é preciso também se preocupar em abandonar os péssimos hábitos.

Então, confira a seguir quais são os erros mais comuns que diminuem o score e como evitá-los, para garantir uma boa pontuação e assim melhores oportunidades!

Entendendo como funciona o score de crédito

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não existe apenas o Score Serasa, visto que todos os principais birôs de crédito possuem sua própria pontuação, como é o caso do Score SPC, Score Quod e Score Boa Vista.

Dentro dia, basicamente, os consumidores são classificados em duas categorias:

Bons pagadores

Se você é o tipo de pessoa que não se endivida, paga seus débitos até a data de vencimento e tem uma renda mensal compatível com suas contas, os birôs de crédito entendem que você tem bons hábitos de consumo e pagamento, liberando crédito com mais facilidade devido ao seu score estar mais alto.

Maus pagadores

Em contrapartida, se você não honra seus pagamentos e não tem renda fixa ou não comprova seus rendimentos, então passa pouca confiança ao mercado e como consequência os órgãos de proteção ao crédito irão lhe dar um baixo score, o que será mais difícil para conseguir crédito.

Pontuação de crédito

De modo geral, a pontuação de crédito varia entre 0 a 1.000 pontos. Assim, a sua nota indicará a sua reputação no mercado financeiro.

Veja a seguir o que cada pontuação significa:

0 a 200 pontos

Você é considerado um mau pagador, provavelmente por ter ficado negativado por muito tempo.

201 a 400 pontos

Você está melhorando seus hábitos e embora tenha sido um mau pagador, agora está mantendo suas contas em dia, sem atrasos ou calotes.

Contudo, nessa faixa, o risco de inadimplência ainda é alto, o que pode fazer com que consiga crédito, mas com juros altos.

401 a 600 pontos

Você é considerado um pagador na média, ou seja, está melhorando seus hábitos e buscar pagar tudo sem atraso. As chances de ficar com o nome negativado novamente são poucas.

Assim, devido ao risco de inadimplência ser baixo, será mais fácil conseguir aprovação de crédito e os juros não serão tão elevados.

601 a 800 pontos

Você é considerado um pagador muito bom, isto é, dificilmente atrasa o pagamento de suas contas e se esforça para manter seu nome limpo no mercado.

Por isso, terá mais facilidade para conseguir crédito e os juros cobrados a você tendem a ser menores.

801 a 1.000 pontos

Você é considerado um excelente pagador, o que significa que, provavelmente, nunca esteve negativado ou raramente atrasa seus pagamentos.

Por conta disso, provavelmente, sempre conseguirá aprovar um pedido de crédito no mercado e com a vantagem de pagar com juros bem baixos.

Agora que você já viu o que cada faixa de crédito significa, é importante ter em mente que o seu score não é fixo. Saiba que diariamente a sua nota de crédito se altera (aumenta ou diminui), dependendo dos seus hábitos de consumo e pagamento.

Por isso, se você estava inadimplente, mas aos poucos foi se restabelecendo e pagando suas contas em dia, poderá ver sua nota subir gradualmente.

Da mesma forma, quem paga tudo certinho e por um problema financeiro ou descuido acaba metendo os pés pelas mãos e se endivida e não consegue quitar os débitos, terá uma queda terrível no score.

Além disso, saiba que na hora da análise de crédito, os bancos e instituições financeiras irão avaliar somente o seu score atual.

Mas, você já reparou que por mais que você pague suas dívidas, mantenha os pagamentos em dia e tenha uma boa renda, seu score demora a aumentar?

Bom, a culpa pode ser sua, ou seja, você pode estar tendo comportamentos financeiros que estão diminuindo seu score! Veja a seguir mais sobre!

Hábitos que diminuem o score de crédito

Muitos fatores podem prejudicar sua nota de crédito, o que acaba ou diminui as suas chances de obter crédito junto a bancos, financeiras e empresas.

Veja a seguir alguns hábitos que podem estar prejudicando o aumento do seu score ou até mesmo diminuindo a sua nota diariamente!

1. Nome negativado frequentemente

Se você ficou com seu nome sujo mais de uma vez nos últimos anos, os birôs não te veem como um bom pagador e por isso, seu score vai ser menor.

Por isso, evite entrar na lista de inadimplentes para depois resolver o problema, pois com certeza isso será negativo no seu score.

2. Sem contas em seu nome

Não ter contas registradas em seu nome é muito ruim, pois impossibilita que o mercado te localize, o que consequentemente pode baixar o seu score.

Isso porque as contas são uma forma de comprovante de residência, ou seja, uma maneira das instituições lhe acharem caso você venha a ficar inadimplente.

Por isso, de nada adianta estar pagando contas em dia se o básico você não está fazendo…

Então, para evitar a insegurança das instituições em relação a você, saiba que é necessário ter ao menos uma conta em seu nome, seja uma conta de luz, de água, aluguel, internet, telefone, enfim.

3. Nenhum bem registrado em seu nome

Não ter um imóvel, carro, moto ou outro bem em seu nome diminui as suas chances de crédito e indiretamente baixa seu score.

Por quê? Bom, as instituições veem que você não tem nada a oferecer como garantia de pagamento e assim, no caso de contrair dívidas, será mais difícil negociar a quitação da dívida.

Essa regrinha é importantíssima principalmente quando você for solicitar crédito de valor mais elevado, como um financiamento ou um empréstimo com limite maior.

Então, saiba que é essencial ter um bem registrado em seu nome, pois isso lhe dará mais credibilidade frente às instituições e indiretamente irá aumentar seu score.

4. Falta de comprovação de renda

Não declarar sua renda no imposto de renda ou não ter um emprego de carteira assinada também é um dos hábitos que diminuem o score.

Isso porque, sem comprovar renda, será difícil conseguir crédito no mercado, logo, sem movimentar seu CPF, seu score não aumenta.

Por isso, mesmo que você seja um trabalhador autônomo, tenha uma empresa no regime MEI ou esteja desempregado, procure informar às instituições sua renda na hora de solicitar crédito.

Conclusão

Prontinho, agora você já sabe o que pode estar prejudicando o aumento do seu score de crédito e como resolver, certo?

Lembre-se sempre de que tão importante quanto se manter na linha e pagar tudo em dia é evitar cometer erros que diminuam a sua pontuação.

Mas, atenção, você também não precisa ficar fissurado(a) em tentar alcançar os 1.000 pontos, pois essa é uma meta para poucos.

O ideal é se manter entre 600 e 800 pontos, pois essa nota indica que você é um bom pagador e terá grandes chances de conseguir o crédito solicitado!