O investimento em ações é um dos que mais movimenta a renda variável, considerando que mesmo tendo certo risco atrelado às aplicações, normalmente, consegue-se comprar ações na bolsa de valores a preços acessíveis (é possível investir em ações com pouco dinheiro, com menos de R$100,00, por exemplo) e claro, costumam ser bem mais rentáveis que os investimentos em renda fixa (que por sinal, não andam nada positivos em tempos de mínima histórica da taxa básica de juros).

Porém, como sabemos, é necessário saber como investir em ações, pois como esse é um mercado volátil e mais instável, muita coisa pode acontecer de um dia para o outro. Um bom exemplo disso foi quem pensou em como investir em ações da Petrobras, pois os ativos tiveram uma queda repentina depois da interferência do presidente Jair Bolsonaro na empresa há algumas semanas. 

Assim, principalmente os investidores iniciantes em renda variável, se assustaram com a situação, querendo negociar seus ativos o mais rápido possível na bolsa de valores, com a ideia de não ter tanto prejuízo com essa queda inesperada. Mas, é aí que temos a diferença entre um investidor de sucesso e um investidor “meia boca”…

Essa tentativa desesperada de vender ativos quando a bolsa cai é um erro comum no mercado de ações, especialmente entre os investidores sem conhecimento sobre o assunto. Contudo, saiba que é preciso entender como funciona o investimento em ações, sempre levando em conta essas oscilações, pois elas fazem parte do risco assumido ao fazer tal investimento. 

Então, se você está começando no mercado de ações para iniciantes, é fundamental aprender como lidar com esses momentos de flutuação nos preços dos ativos. Por isso, preparamos este guia rápido com três dicas de ouro de o que fazer se as suas ações caírem! Vamos lá?!

O investimento em ações é uma aplicação de longo prazo 

Grande parte dos investidores que começa a aplicar seu dinheiro em renda variável acredita que esse é um mercado de retornos rápidos, ou seja, de curto prazo, mas saiba que isso só se aplica aos negócios feitos na modalidade Day Trade (compra e venda de ações em menos de 24h).

Na prática não é bem assim, então, tenha em mente que o investimento em ações é de longo prazo, isto é, é uma aplicação que dará ótimos resultados daqui 10 anos, por exemplo. Você até pode ter bons rendimentos em pouco tempo, mas quanto menor o prazo de aplicação, maior a instabilidade e consequentemente maiores as chances de você ver seus ativos caírem nos preços negociados. 

Por isso, considerando o fator tempo, tudo muda na hora de avaliar se investir em ações vale a pena, certo?

Pode ser que esta semana a Petrobras tenha registrado queda brusca e que o mercado de ações farmacêuticas esteja em alta, mas isso pode mudar.

Assim, avalie o risco de investimento em ações racionalmente e nunca movido pelo sentimento de desespero pela possível perca de dinheiro.

A melhor dica para isso é avaliar o motivo que levou a queda dos valores negociados e pensar em longo prazo os impactos prováveis. 

Se a razão para a queda na bolsa for decorrente de fatores externos a empresa, como, por exemplo, por causa de uma notícia de momento, é bem provável que em pouco tempo a confiança na empresa seja retomada e assim não vale a pena vender suas ações. 

Já se o motivo da queda for relacionado à falência da empresa ou um momento financeiro instável, então, é melhor vender suas ações mais barato do que sair perdendo tudo. 

O mercado de ações é oscilante

Um dos segredos para ser um investidor em renda variável de sucesso é justamente entender o que é investimento em ações.

A compra e venda de ações movimenta trilhões de reais todos os dias e no meio disso ocorrem variações, que podem ser positivas ou negativas. 

Sendo assim, se você quer se arriscar nessa fatia de mercado é preciso saber lidar com a pressão desses sob e desce no valor das ações. 

Mas, claro, sempre avaliando o motivo da flutuação, pois uma coisa é a queda da bolsa em decorrência da troca de gerência da empresa (confiança recuperável) e outra é devido a uma grande perca de capital (confiança no mercado demorará para subir novamente).

A regra de ouro do investimento em ações para iniciante é manter a calma. Na maioria das vezes, vender suas ações em um momento de queda pode ser a pior coisa a se fazer.

O investimento em ações exige paciência e cautela

Via regra geral, investir em ações vale a pena sim, mas para isso acontecer é preciso saber se manter calmo nesses momentos de oscilação. 

Além disso, uma das melhores dicas para investir em ações é ter paciência, principalmente para lidar com os extremos.

Se você ainda não se sente preparado para acordar um dia e se deparar com a possibilidade de ter perdido muito dinheiro, então, primeiramente, nem entre para o mercado de ações. 

Segundo, a ideia é ir aos poucos e com cautela, ou seja, investir em ações com pouco dinheiro, até adquirir experiência e confiança.

Terceiro, muita calma nessa hora, pois estamos falando do investimento em renda variável, onde você assume o risco de que algo pode não dar certo.

É preciso estar mentalmente preparado para essas situações de turbulência e se você é o tipo de investidor que se desespera só de pensar em perder capital, então o investimento em ações não é o mais indicado. 

Portanto, conhecimento, cautela e estratégia são fundamentais para sobreviver e lucrar no mercado de ações!

Além do mais, avalie muito bem onde investir em ações, sempre dando preferência a empresas com boa reputação, que mostrem uma boa margem de lucro ao longo do tempo, que tenha uma gestão eficiente e claro, poucas ou nenhuma dívida!