Para a alegria de milhões de brasileiros, o Governo Federal, em conjunto com o Ministério da Economia, anunciou o novo salário mínimo de 2022, que passa a ser de R$1.212,00. O novo valor passou a valer desde o dia 01 de janeiro.

De acordo com o pronunciamento oficial feito no dia 31 de dezembro de 2021 pelo presidente Jair Bolsonaro, o novo valor do salário mínimo representa um reajuste de 10,18% em relação ao que era pago em 2021.

Contudo, nem todos os brasileiros assalariados poderão aproveitar do aumento no salário mínimo e há também aqueles que precisarão pagar mais durante suas contribuições. Por isso, preparamos este guia rápido para lhe mostrar quais são os benefícios e regras que também mudaram com o novo valor. Aproveite!

Mudanças com o novo salário mínimo de 2022?

Para você saber se o seu salário ou benefício terá reajuste conforme o novo salário mínimo de 2022 ou se você precisará pagar mais ao INSS, montamos essa lista rápida para mostrar o que mudará na prática! Confira!

1 – Benefícios do INSS

Os beneficiários do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) receberão o reajuste de seu benefício de acordo com o novo valor do salário mínimo 2022. Entram nessa lista quem recebe algum tipo de pensão, aposentadoria e auxílio doença pela previdência social.

Com relação ao pagamento dos novos valores para os beneficiários do INSS, o reajuste será liberado a partir do dia 25 de janeiro, para aqueles que recebem até um salário mínimo.

Os beneficiários que recebem acima de um salário mínimo terão seu benefício reajustado a partir do dia 01 de fevereiro, referente ao pagamento do mês de janeiro.

2 – Contribuições previdenciárias

Quem contribui com a previdência social (INSS), como os trabalhaores autônomos e MEI’s terá os valores de contribuição mensal reajustados com base no novo valor do salário mínimo de 2022.

Como o salário está maior, é normal que o valor da contribuição ao INSS também aumente, até mesmo para fazer o sistema previdenciário funcionar corretamente, sem risco de “quebrar”.

No entanto, os novos valores de contribuição ainda não foram divulgados, visto que o Ministério da Economia está calculando o reajuste adequado.

3 – Benefício de Prestação Continuada

O BPC (Benefício de Prestação Continuada), antigo LOAS, é pago pelo INSS para brasileiros que tenham idade superior a 65 anos e/ou que tenham algum tipo de deficiência que impeça o sustento próprio.

Com o reajuste no salário mínimo para 2022, quem recebe o BPC terá aumento no valor do benefício, se equiparando ao valor de R$1.212,00.

4 – Abono salarial PIS/Pasep

O valor do abono corresponde a até um salário mínimo por ano e por isso, é pago de forma proporcional ao reajuste liberado pelo Governo Federal.

Dessa forma, o pagamento do PIS e Pasep este ano sofrerá mudanças, onde poderá ser pago aos trabalhadores os valores entre R$101,00 e R$1.212,00.

Via regra geral, recebe o valor integral do salário quem trabalhou os 12 meses do ano base completos e para ter direito ao valor mínimo é preciso ter trabalhado ao menos 30 dias de carteira assinada.

5 – Seguro-desemprego

Em tempos de crise financeira, um dos primeiros impactos na economia é a demissão de funcionários. Atualmente, o Brasil tem mais de 13 milhões de pessoas desempregadas, ou seja, sem renda fixa e carteira assinada.

Neste cenário, aumenta a procura pelo benefício trabalhista conhecido como seguro-desemprego e a boa notícia para quem irá solicitar é que o valor também será reajustado.

De modo geral, o valor das parcelas do seguro-desemprego é calculado com base nos últimos três salários do funcionário. Além disso, o valor mínimo nunca pode ficar abaixo do salário mínimo no país.

Por isso, saiba que a tabela do seguro-desemprego irá pagar o mínimo do salário e o valor do teto máximo será de R$2.106,08.

6 – Cadastro Único

O famoso CadÚnico (Cadastro Único) é a porta de entrada para milhões de famílias brasileiras aos programas sociais oferecidos pelo Governo Federal.

Um bom exemplo disso são os brasileiros de baixa renda que solicitam ou já recebem o Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família).

Porém, com o aumento no salário mínimo para 2022, quem deseja se inscrever no CadÚnico este ano terá que rever os novos parâmetros de renda.

Como o valor do salário aumentou, a renda mensal das famílias também. Confira a seguir quais são os novos critérios para se cadastrar nos programas do governo:

  • Quem recebe até meio salário mínimo (R$606,00)
  • A renda familiar não poderá passar de três salários mínimos (R$3.636,00)
  • Só poderá fazer o CadÚnico as famílias que recebem mais de três salário mínimos se estiverem cadastradas em programas sociais nas três esferas do Governo Federal

Mas, lembrando que quem já recebe o Auxílio Brasil ou outro benefício do tipo não terá reajuste, a regra vale apenas para os novos inscritos e o que muda é a faixa de renda para poder se cadastrar, não necessariamente um aumento no benefício.

Conclusão

Prontinho, agora você já sabe quais serão as mudanças em valores de benefícios e contribuições em decorrência do novo salário mínimo para 2022! Então, fique atento aos prazos e tabelas de reajuste para saber seus novos direitos e obrigações!