Se tem uma coisa que pode nos desestabilizar totalmente é uma crise financeira, não é mesmo? Quando o assunto é dinheiro, tudo preocupa, afinal, esse é o recurso que move o mundo. Precisamos de dinheiro para comer, para ter onde morar, para nos vestir, enfim.

E não adianta, todos os outros aspectos da nossa vida podem estar perfeitos e em total equilíbrio, mas se a nossa situação financeira dá uma guinada, pronto, nos vemos em meio ao furacão, sem saber o que fazer…

Mas, nem precisa muito para sairmos do eixo, como ficar desempregados, por exemplo. Basta ter um imprevisto financeiro ou a renda mensal reduzida que tudo à nossa volta se complica.  Parece que as despesas aumentam e não vamos dar conta de honrar todos os compromissos financeiros, não é mesmo?

Por isso, para passar por momentos de aperto nas finanças, só existe um segredo: Organização financeira! E, para lhe mostrar que é possível sim diminuir os impactos de uma crise financeira, separamos cinco passos de mestre para que você tenha controle do seu dinheiro, principalmente quando ele estiver escasso! Vamos lá?!

1. Momentos de crise financeira exigem uma análise real do orçamento

O que fazer em meio a uma crise financeira? Qual o primeiro passo em um momento como esse? Bom, passado o susto, o melhor a fazer é analisar friamente o seu orçamento, ou seja, a real situação das suas finanças.

Para isso, coloque em um papel a sua receita líquida, se ainda contar com uma, e em outro papel anote todas as despesas mensais

É importante listar não apenas as contas de água, luz, moradia, telefone, celular, dentre outras, mas também as despesas com compras para casa, vestuário, alimentação e medicamentos.

Nessa hora, você poderá se surpreender em como já vinha acumulando gastos maiores do que seu ganho.

Normalmente, ter um padrão de vida acima do que a nossa capacidade permite só agrava os efeitos de uma crise financeira e é justamente o contrário que queremos, certo?!

2. Comece o quanto antes a fazer cortes de despesas

Como sair de uma crise financeira? Bom, cortar gastos é um bom começo, pois assim utilizará seu dinheiro para o que realmente precisa. 

Você pode não acreditar agora, mas com certeza existem muitos itens em nosso dia-a-dia que podem ser dispensados em uma situação como essa. 

Claro que de início você sentirá uma queda em seu padrão de vida, mas, por outro lado, poderá pagar suas contas, e isso é o principal. 

Além disso, evite cair na tentação de pedir empréstimos para quitar dívidas, pois isso nunca é a solução, você só estará empurrando o problema para a frente. 

Mas, caso tenha que recorrer a um empréstimo, saiba escolher um que seja amigo do seu bolso. Pesquise bem os tipos de crédito no mercado, quais as opções que oferecem as menores taxas de juros e claro, com parcelas que não comprometa seu orçamento.

No mais, a dica é negociar suas pendências e cortar o máximo possível de custos.

3. Conte com o apoio da família para vencer a crise financeira

Não importa se é uma crise financeira no Brasil ou apenas no seu orçamento, como já diz o ditado: “A união faz a força”. 

Por isso, caso tenha filhos e cônjuge, procure envolvê-los na situação, pois não adianta só uma parte da casa tentar economizar e reduzir os gastos.

É claro que você não passará aos seus filhos uma preocupação enorme que deve ser sua, mas é sempre saudável manter a transparência.

Peça ajuda, para que todos colaborem na economia da casa, seja reduzindo a duração de uma conversa ao telefone, diminuindo o tempo gasto no banho, moderando o consumo de energia elétrica, enfim.

Quanto ao seu companheiro ou companheira, o ideal é que fiquem mais unidos do que nunca, compartilhando decisões e responsabilidades. 

Nessa hora, duas cabeças pensando conseguem melhores soluções para vencer a crise financeira. Mas, não supervalorize o problema

4. Procure já uma fonte alternativa de renda

Se a crise financeira abater sua casa, mesmo você estando empregado, talvez seja interessante analisar sua situação profissional, pois não é hora de se acomodar

Por exemplo, avalie se o seu salário é compatível com o que você faz. Há chances de negociação para conseguir um aumento

Caso isso não seja possível, busque fontes alternativas de renda, para que o valor de ganhos durante o mês seja maior do que a quantia gasta em suas despesas mensais.

E não se sinta impotente ou fracassado por não dar conta de tudo. Todo mundo em algum momento da vida já passou por um sufoco nas finanças. 

5. Evite ao máximo criar novas dívidas

O último passo para enfrentar uma crise financeira é fugir do endividamento, pois se já está difícil agora, saiba que poderá piorar ainda mais não tendo mais crédito no mercado…

Para quem ainda não está com dívidas pendentes (mais de 90 dias de atraso nas contas), a dica é diminuir o uso do cartão de crédito e evitar as compras por impulso, que poderão mais tarde desorganizar o orçamento mensal.

Em contraponto, quem já está endividado, o melhor a se fazer é traçar um planejamento financeiro para sair dessa condição.

Isso inclui renegociar dívidas, eliminar os cartões das suas finanças, ajustar limites especiais de crédito e se esforçar para pagar o que deve. 

Além disso, é fundamental identificar o motivo do impulso, pois na maioria das vezes, essa compulsão em comprar está associada a um problema emocional ou profissional, no qual buscamos compensar aquilo que falta em nossa vida comprando. 

Então, depois de superar seu impulso de gastar, é hora de se manter vigilante, ou seja, controlar seu dinheiro.

Uma saída para isso é anotar as despesas e comparar se determinado gasto está dentro de suas possibilidades.

Conclusão

Esperamos que com estes cinco passos você consiga enfrentar melhor uma crise financeira em seu orçamento. 

Por mais que pareça uma missão quase impossível e que você tenha vontade de jogar tudo para o alto, saiba que mais do que nunca é hora de manter o foco e traçar um plano de ação. Se você não tiver uma boa organização financeira nessas situações, tenha a absoluta certeza de que as coisas irão piorar!