A vida adulta é cheia de imprevistos, principalmente os financeiros, ou seja, aqueles gastos inesperados que abalam o nosso orçamento. Mas, saiba que com a criação de uma reserva de emergência você evita alguns problemas, como o endividamento.

No entanto, embora seja importantíssimo ter uma reserva financeira, juntar dinheiro não é um hábito do brasileiro.

Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil e CNDL mostrou que mais de 52% dos consumidores brasileiros não têm dinheiro guardado para alguma emergência, como a manutenção do carro, reforma da casa, pagar as contas em caso de desemprego, enfim.

Por isso, se você quer fazer parte do time que tem estabilidade financeira, veja a seguir o que é, como funciona e quando é o momento ideal de usar a sua reserva de emergência! Vamos lá?!

O que é uma reserva de emergência?

Uma reserva de emergência nada mais é do que um dinheiro que você tem guardado, ou seja, uma fonte de renda que está a sua disposição caso tenha que lidar com algum imprevisto em seu orçamento.

Para que serve uma reserva financeira?

A reserva de emergência, como o próprio nome sugere, serve para lidar com emergências financeiras.

Normalmente, é utilizada pelos brasileiros para casos como a perda do emprego, doença na família, conserto de carro ou casa, quitar dívidas e até mesmo para investir no futuro, como abrir um MEI, por exemplo.

Mas, além disso, guardar dinheiro serve também para criar uma estabilidade financeira, visto que você não precisará recorrer a alternativas mais caras, caso precise.

Por exemplo, se o seu apartamento começou a dar infiltração e será preciso fazer uma reforma… Se você não tiver uma reserva financeira, provavelmente, terá que solicitar crédito mais caro, como limite do cheque especial, pagamento parcelado no cartão de crédito ou empréstimo, não é mesmo?

Por isso, um dos objetivos da reserva de emergência é dar mais segurança ao seu orçamento, sem que precise pedir crédito com taxas de juros mais altas.

Qual o valor ideal para a reserva financeira?

De modo geral, você deve guardar entre 3 a 6 meses do valor dos seus gastos mensais. Por exemplo, se você tem uma média de gasto de R$2 mil por mês, o ideal é juntar uma quantia entre R$6 mil a R$12 mil.

Assim, caso você tenha algum imprevisto, terá dinheiro suficiente para cobrir suas despesas, principalmente se o caso for de desemprego.

Como fazer uma reserva de emergência?

Para começar a sua reserva financeira é muito simples e mais fácil do que imagina. Veja a seguir algumas dicas para iniciar a sua!

Analise o seu orçamento mensal

Para ter dinheiro para colocar na reserva, é importante primeiramente cortar gastos e economizar, caso contrário não será possível.

Por isso, a dica é avaliar seu orçamento, para saber exatamente quanto ganha e gasta por mês.

Feito isso, é só identificar onde você pode reduzir custos e economizar, para sobrar dinheiro para investir na sua reserva de emergência.

Cuide melhor das suas finanças

Segundo um estudo realizado pelo Raio X do Investidor, cerca de 56% dos consumidores brasileiros iniciaram o ano sem nenhum dinheiro guardado.

Isso nos mostra a relação que temos com o dinheiro, ou seja, ainda vemos esse recurso como algo para gastar e nunca para juntar e investir.

Sendo assim, a segunda dica para criar a sua reserva de emergência é ser mais conservador, isto é, procure sempre guardar mais dinheiro do que gastar, pois somente assim alcançará a estabilidade financeira.

Defina metas em curto prazo

A terceira dica para começar a sua reserva financeira é definir metas e nesse sentido, estamos falando de estipular o quanto você poderá juntar por mês.

É preciso ser realista na hora de definir o valor, ou seja, pense em uma quantia que você realmente consiga guardar, sem comprometer o seu orçamento.

Inclusive, é melhor começar com R$50,00 por mês do que estipular uma meta de R$200,00 e conseguir juntar somente a cada dois ou três meses.

Quando usar a reserva de emergência?

Essa é uma das principais dúvidas sobre o assunto, visto que após juntar a quantia média necessária, muitas pessoas não sabem o que fazer.

Bom, nesse sentido, a reserva de emergência deve ser usada quando você tiver despesas inesperadas, necessárias e urgentes, independentemente de já ter alcançado a meta ou não. Veja alguns exemplos abaixo:

  • Manter seu custo de vida no caso de ficar desempregado ou ter cortes no salário/rendimentos
  • Reparos essenciais, como o conserto do carro após um acidente
  • Casos de reforma de emergência em sua residência
  • Emergência de saúde, como no caso de doença ou acidente
  • Viagem não programada, mas que é essencial

Conclusão

Portanto, agora você já sabe o que é reserva de emergência, para o que serve e quais são as situações ideais para utilizar o dinheiro guardado, certo?!

Por mais que lhe pareça difícil juntar R$5 mil agora, saiba que aos poucos você atingirá a sua meta, garantindo assim mais controle de suas finanças e estabilidade para o futuro.

Além disso, a reserva de emergência é uma forma de você ter mais dinheiro, pois ao economizar e usar suas economias de forma mais sábia, evita as compras por impulso e os pedidos de crédito com altas taxas de juros!