Segundo o Banco Central, hoje no Brasil temos quase 130 milhões de brasileiros que usam o cartão de crédito, sendo que desses, em 30% dos casos o cartão é o principal meio de pagamento para suas compras, sejam as pequenas do dia-a-dia ou as parceladas de maior valor.

É ótimo que mais pessoas estejam usando os cartões de crédito para facilitar sua vida financeira, afinal, é um crédito que permite que o brasileiro compre produtos e serviços que muitas vezes não conseguiria apenas com o dinheiro, pois isso demandaria muito mais planejamento, economia e tempo, para juntar toda a quantia necessária. 

O problema é que ao mesmo tempo que oferece diversas vantagens, comprar com o cartão pode se tornar um pesadelo em seu orçamento familiar. O motivo para isso é a falta de educação financeira que temos, onde muitas pessoas compram sem avaliar aquela conta em suas finanças e quando vão ver, já estouraram o limite do cartão e por não conseguirem pagar toda a fatura, entram na bola de neve do juros do rotativo…

Então, por mais que um cartão de crédito seja perfeito para adquirir bens de forma mais rápida, saiba que é preciso aprender como utilizá-lo de forma correta, pois você não vai querer fazer parte dos 65% de brasileiros endividados (grande parte deles por causa das dívidas com cartões), não é mesmo?

23 dicas para usar melhor seu cartão de crédito

1. Procure o cartão de crédito ideal

Há milhares de opções de cartão no mercado hoje em dia, mas não se iluda. Escolha o cartão perfeito para você, ou seja, que se encaixe nas suas necessidades financeiras. Então, nada de pedir o cartão que oferece o maior limite disponível só para poder comprar mais, pois a dica é não passar mais do que 30% da sua renda. 

Além disso, opções boas e baratas é o que não faltam, como cartões com anuidade grátis, cobertura internacional, com cashback e até mesmo para quem está negativado. Bons exemplos disso são os cartões: BMG, InterMéliuz, Superdigital e C6 Bank.

2. Cuidado com as letras miúdas do contrato

Saber o que você está assinando é importantíssimo hoje em dia e quando estamos falando de crédito essa é uma regra de ouro. 

Então, antes de solicitar um cartão de crédito leia atentamente os termos e condições presentes no contrato, para que não venha a ter problemas no futuro, como, por exemplo, tendo que pagar altas taxas de juros.

3. Mantenha suas finanças organizadas

Ter uma boa organização financeira irá lhe poupar muita dor de cabeça se pretende usar o cartão de crédito nas compras do dia-a-dia.

Afinal, se você não tiver controle do seu dinheiro (saber exatamente quanto entra e quanto sai todo mês), as chances de se endividar são grandes, pois correrá o risco de não ter como pagar a fatura mensal.

4. Use os aplicativos oferecidos pelos cartões de crédito

Os aplicativos cada vez mais facilitam nossa rotina e para quem usa cartão, são perfeitos para acompanhar os gastos em tempo real.

Então, use mais o aplicativo oferecido pelo seu cartão de crédito, seja para ver o quanto já gastou no mês, para antecipar o pagamento da fatura e conseguir um descontinho e até mesmo para “pisar no freio” antes que a fatura venha mais alta do que pode pagar.

5. Anote todos os gastos extras ao cartão de crédito 

Assim como é importante usar os aplicativos para controlar seus gastos no cartão, anotar todas as demais despesas do mês também pode ser bem útil. 

Com isso, ficará muito mais fácil seguir o planejamento financeiro mensal, sem precisar ter que deixar de pagar uma outra conta porque gastou mais no cartão e a fatura veio alta.

A dica é usar planilhas ou até mesmo cadernos para anotar todas as suas despesas mensais, dividindo entre contas fixas e variáveis.

Dessa forma, você terá uma noção aproximada do quanto tem disponível durante o mês para gastar no cartão de crédito.

6. Limite os gastos a 30% do salário 

Ao fazer cartão de crédito a euforia é grande e com isso, comprar se torna um prazer. Mas, cuidado para isso não se tornar um problemão em sua vida. 

Os especialistas financeiros recomendam que você utilize apenas 30% da sua renda nas compras do cartão durante o mês. 

Por exemplo, se você ganha R$1.500,00, a dica é usar R$450,00, no máximo, mesmo que o emissor do cartão lhe ofereça um limite de R$1.000,00.

Inclusive, muitos bancos e financeiras oferecem limite de crédito maior do que o seu próprio salário, o que com certeza é sinal de catástrofe financeira.

7. Entenda as taxas do seu cartão

Saber como funciona o cartão de crédito é indispensável para manter tudo sob controle, principalmente com relação às taxas cobradas. 

Há cartões de crédito que cobram juros pelo seu uso (os que tem anuidade, por exemplo) e existem aqueles que cobram por determinadas transações realizadas (como juros nos parcelamentos, por exemplo).

Por isso, para evitar ao máximo pagar tais taxas e economizar um dinheirinho, entenda o que está pagando. 

Assim, você consegue diminuir os gastos e administrar melhor o cartão de crédito, o que consequentemente leva a menor taxa de inadimplência.

8. Atenção aos juros

Sem sombra de dúvidas os juros são um dos maiores problemas para quem usa algum cartão de crédito. 

Basicamente, temos dois tipos de juros: 

  1. Aqueles referentes ao parcelamento: quanto maior o número de parcelas, mais pagará na compra;
  2. Os ocasionados no pagamento: podem ser cobrados tanto pelo atraso no pagamento da fatura até o dia de vencimento quanto no caso de pagar apenas o valor mínimo. 

Por isso, cuide para pagar o mínimo possível de juros, ou seja, tente parcelar suas compras em menos vezes e use seu crédito com moderação, para que a fatura fique dentro do seu orçamento e não precise atrasar ou pagar apenas o mínimo.

9. Menos é mais quando o assunto é quantidade de cartões

Não é indicado ter vários cartões de crédito, pois as chances de acabar comprometendo suas finanças são bem maiores. 

Assim, saiba que o ideal é ter, no máximo, dois cartões de emissores diferentes, uma vez que assim você conseguirá ter controle de seus gastos.

Além disso, quanto menos opções, menos taxas e tarifas que podem vir a ser cobradas.

10. Fique de olho na fatura

Os brasileiros não têm o hábito de acompanhar suas compras em tempo real, justamente por acharem os aplicativos do cartão “desnecessários”.

Mas, saiba que para ter um bom controle de sua vida financeira é essencial ficar atento à fatura do cartão de crédito. 

Assim, você poderá saber onde e quando a compra foi realizada, bem como o quanto essa conta irá pesar em seu orçamento nos próximos meses. 

Inclusive, prestar atenção nas compras feitas diminui e muito as chances de pagar por algo que não é seu, como no caso da clonagem do seu cartão.

11. Mantenha o pagamento das faturas em dia

Você sabe como funciona o parcelamento da fatura do cartão de crédito? Se não, comece a procurar agora mesmo e verá o pesadelo que isso é…

Dessa forma, gaste com consciência para evitar ter que parcelar o pagamento da fatura e assim entrar nos juros infinitos.

Além disso, tente ao máximo sempre pagar o cartão até a data de vencimento, pois isso evita taxas de juros e até mesmo a criação de dívidas. 

Ah, e por mais que a essa data seja a mesma todos os meses, você pode alterá-la conforme a sua preferência.

Por exemplo, se o seu salário cai na conta até o quinto dia útil do mês e a sua fatura vence dia três, você sempre estará pagando juros por atraso, sem necessidade. 

12. Evite pagar o mínimo

Entender como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito é importantíssimo para suas finanças e é um dos maiores erros dos brasileiros. 

Basicamente, pagar o mínimo (o rotativo do cartão) significa pagar o menor valor possível até a data de vencimento, que é de 15% do total da fatura mensal. 

O problema é que por mais que não atrase o pagamento da sua fatura e continue com o nome limpo, os juros cobrados são altíssimos.

Na prática, quando você não paga a fatura integral, esse rotativo é encarado como um “empréstimo”, no qual a próxima irá vir com os gastos do mês, mais o que ficou para trás no mês anterior e mais os juros e multas do pagamento mínimo…

Então, para não perder o controle de seu dinheiro, evite pagar o mínimo. Caso a sua situação financeira no mês não permita isso, a dica é parcelar o valor total da fatura ou pedir um empréstimo, que na maioria das vezes tem juros menores que o rotativo.

13. Jamais use um cartão para pagar outro

Por mais que lhe pareça a melhor alternativa no momento, saiba que é um “tiro no pé” usar um cartão de crédito para quitar outro.

Acredite, essa não é a maneira mais inteligente de se livrar das dívidas, pois só irá resolver o problema momentaneamente.

Caso a dificuldade em pagar as dívidas seja recorrente, avalie cancelar um cartão e criar um planejamento financeiro eficaz, pois assim não gastará mais do que ganha.

14. Negocie a anuidade

Como já mencionamos, existem diversos cartões de crédito isentos da taxa de anuidade, o que é ótimo para o seu bolso.

Mas, se mesmo assim você ainda preferir um cartão com anuidade, saiba que aprender a negociar com o emissor é fundamental.

Se não conseguir diminuir a anuidade, analise todas as vantagens do seu cartão de crédito e veja se o valor pago compensa todas as vantagens e benefícios oferecidos. 

15. Não pague contas fixas com o cartão

Contas de água, luz, telefone e internet são algumas das despesas fixas que a maioria das famílias brasileiras têm atualmente. 

Entretanto, criar o hábito de pagar tudo isso com o cartão de crédito é extremamente prejudicial para a vida financeira.

Inclusive, se você já chegou ao ponto de ter que usar o cartão para cobrir essas despesas, acione o alerta. 

Esse é um sinal de problemas no seu orçamento e se não voltar para os eixos, as chances de endividamento são grandes.

16. Utilize o acúmulo de pontos do cartão de crédito a seu favor

Hoje em dia, com a grande concorrência no mercado, é fácil encontrar um cartão de crédito que ofereça programas de vantagens. 

Assim, toda a vez que você comprar com seu cartão, poderá juntar e acumular pontos, conforme o programa de benefícios oferecido.

Depois é só trocar seus pontos por eletrodomésticos em geral, eletrônicos, passagens aéreas e muitos mais. 

Inclusive, alguns cartões oferecem a troca de pontos por cashback, ou seja, dinheiro de volta na conta ou como desconto para o pagamento da fatura mensal.

17. Não faça cartão de loja 

Os cartões de lojas de roupa, por exemplo, não são indicados porque as dívidas certamente serão acumuladas. 

Opte por fazer um cartão que realmente ofereça vantagens e não apenas para ter mais uma forma de desandar com as finanças. 

18. Não dependa do cartão de crédito

Se você é um escravo do cartão, repense hoje mesmo suas ações e pensamentos, pois com certeza algo está errado…

Aliás, isso é muito perigoso e pode fazer com que você não consiga pagar todas as contas do mês.

Por isso, caso não consiga se organizar, antes de deixar suas contas virarem uma bola de neve, cancele seu cartão de crédito. 

19. Conheça seus deveres e direitos

No Código de Defesa do Consumidor (CDC) há uma série de cláusulas que determinam os direitos e deveres no uso do cartão de crédito. 

Itens como regras da fatura, do pagamento e outras cobranças estão expostas no CDC. O lojista não pode, por exemplo, cobrar mais caro para efetuar a venda no cartão. 

20. Evite fazer muitos empréstimos

Hoje em dia, muitos cartões oferecem como benefício o saque em dinheiro, isto é, você pode sacar parte do limite de crédito disponível em seu cartão.

Mas, isso nem sempre é bom! O motivo é simples: Se você já retirou o dinheiro do cartão, saiba que basicamente fez um empréstimo. 

A decisão pode não ser a melhor se os juros forem analisados. Eles, normalmente, começam a ser somados no momento da retirada do dinheiro. 

21. Reclame das cobranças erradas 

Se tiver algum problema, seja com a fatura ou quaisquer transações, ligue imediatamente para o SAC da empresa emissora do cartão. 

Pode ser erro do emissor do cartão, mas também existe a possibilidade de você estar sendo vítima de fraude.

Mas, na dúvida, para acabar com as dúvidas, busque soluções e estornos junto ao banco. 

22. Mantenha os gastos no orçamento

Montar um orçamento mensal é fácil, o difícil mesmo é conseguir seguir à risca o planejamento. 

Entretanto, ao primeiro sinal de descontrole financeiro, se reorganize, pare de utilizar o cartão e quite as dívidas para evitar problemas maiores por anos. 

23. Tudo bem cancelar o cartão de crédito 

Se o cartão já não dá benefícios como antes, não tenha medo de cancelar, afinal, não somos obrigados a nada. 

Além disso, as taxas de juros e anuidades altas são motivos para procurar uma melhor opção de crédito para você e para seu bolso. 

Então, garanta que irá pagar o que deve e cancele antes que isso vire um tormento em sua vida. 

Prontinho, agora você já sabe como funciona o cartão de crédito e como usá-lo para facilitar a sua vida financeira, certo?

Lembre-se de que ao fazer um cartão de crédito a intenção é descomplicar suas finanças e nunca o contrário. 

Se o cartão está trazendo mais dor de cabeça do que benefícios, talvez seja a hora de repensar seu uso!