Muitas pessoas acreditam que viver de dividendos é simples e rápido, basta começar a investir em ações e pronto, todo mês cairá um dinheiro fácil em sua conta… Mas, saiba que na prática nem tudo funciona tão perfeitamente assim, afinal, existem ações e ações.

Por isso, a primeira coisa que você deve fazer é parar com essa obsessão de pensar em comprar ações para viver de dividendos. Por mais que seja ótima a ideia de receber um valor mensal sem precisar trabalhar a mais para tê-lo, o foco de investir no mercado de ações não deve ser esse.

Inclusive, esse tipo de pensamento é péssimo para você como investidor. Focar apenas nos investimentos em ações que têm os melhores rendimentos é o famoso “tiro no próprio pé”, uma vez que para ter sucesso em longo prazo é fundamental pensar na sua carteira de ativos e não na maneira de enriquecer mais rápido.

Então, se você deseja saber como viver de dividendos, sem prejudicar sua carteira ao longo do tempo, é hora de avaliar onde e como você está investindo, para não cair em falsas promessas de dinheiro fácil e rápido, até mesmo porque nem sempre receber dividendos é bom para seu bolso!

Afinal, o que é viver de dividendos?

Quando investimos na bolsa de valores, estamos comprando uma ação. Assim, além de aplicar o seu capital para multiplicá-lo, você também está se tornando um acionista, considerando que comprou um “pedaço” da empresa que está investindo.

Dessa forma, podemos dizer que você se tornou um sócio dessa empresa e consequentemente parte do lucro será compartilhado com você. Isso chamamos de dividendos. Mas, não é tão simples assim viver de dividendos de ações, visto que o percentual distribuído é proporcional ao seu investimento, assim como varia conforme o tamanho da empresa.

Empresas consolidadas no mercados distribuem maiores lucros, pois com mais investimentos externos, crescem mais e expandem mais seu capital, ou seja, maior é o lucro. Bons exemplos de ações para viver de dividendos é no setor bancário e de elétrica, uma vez que esse tipo de empresa é conhecida por ser boa pagadora de dividendos.

Além disso, quando melhor pagadora, melhor o seu investimento. Isso porque essas empresas são mais estáveis, isto é, apresentam menos volatilidade em suas ações.

Inclusive, esse é um parâmetro para você avaliar na hora de comprar ações na bolsa de valores, pois quanto menor a volatilidade, menor a oscilação no valor de suas ações, ou seja, mais segurança para sua carteira de investimentos.

Claro, que essa não é uma regra para ser seguida de olhos fechados, pois oscilações na bolsa ocorrem todo dia, a toda hora.

De onde vêm os dividendos?

Antes de começar a pensar sobre quanto investir para viver de dividendos, é necessário entender melhor sobre a fonte pagadora.

De modo geral, o dividendo que um acionista recebe é descontado do preço da ação. Por exemplo, se você tem uma ação que custa R$30,00, será pago cerca de R$3,00 de dividendo.

Ao distribuir o dividendo, sua ação na bolsa de valores estará valendo R$27,00 e não os R$30,00 iniciais.

Mas, isso é bom ou ruim para quem pensa em viver de dividendos? Então, na maioria dos casos, isso é bom para sua carteira de ativos, pois o investimento retorna ao valor inicial rapidamente.

Porém, existem empresas que escolhem não pagar dividendos e sim reinvestir o valor para multiplicar o investimento em menos tempo.

Isso não é de todo mal e pode ser mais interessante para seu bolso do que viver de dividendos de ações.

O motivo é simples: com um maior investimento de capital, a empresa irá expandir mais rápido, dará mais lucro e consequentemente você se beneficiará.

Nem sempre viver de dividendos é bom, pense nisso!

Tudo na vida são prioridades e no mundo dos investimentos em renda variável isso não é diferente. 

A primeira coisa que você deve pensar na hora de se tornar um investidor é a razão pela qual está aplicando seu capital.

Você deseja construir um patrimônio para usufruir mais tarde? Ou apenas está pensando em dar um up em suas finanças em curto prazo?

Para quem pensa em longo prazo, entender como viver de dividendos pode ser uma boa alternativa, pois é uma renda a mais que irá complementar seu orçamento e ajudará na realização de seus sonhos.

Já se a intenção é ganhar o máximo em menos tempo, não receber dividendos é a melhor escolha, pois você reinveste seu dinheiro e multiplica seu patrimônio.

Além disso, você não deve pensar apenas o quanto investir para viver de dividendos, pois isso não definirá se a empresa é boa ou ruim.

Obviamente que devemos olhar o lucro sim, mas não focar somente nisso para construir sua carteira de ativos.

O ideal é analisar o contexto todo, como:

  • Se a empresa tem bons lucros e se esses são constantes;
  • Qual o grau de endividamento da mesma e como isso pode comprometer seu patrimônio (equilibre o risco-benefício);
  • O quanto a empresa tem de dinheiro disponível em caixa para pagar suas atuais despesas;
  • Como é feita a gestão da empresa e se essa é positiva;
  • Enfim, avalie onde você está investindo seu dinheiro.

Portanto, saiba que é possível viver de dividendos sim, desde que você faça escolha de maneira sábia e inteligente.

Monte uma boa estratégia para sua carteira, sempre avaliando seus objetivos financeiros e os seus desejos como investidor!